OS FONES DE OUVIDO

OS FONES DE OUVIDO

Estava realizando estes dias um passeio com minha turma e alguns alunos da escola, quando em um desvio de órbita pude analisar uma quantia significativa de pessoas adjuntas em um transporte agarradas aos seus fones de ouvido, com um olhar sombrio e distante, deixando a música retumbar internamente um milhão de emoções as quais faziam questão de engolia-las silenciosamente.

E debrucei-me sobre esse simples fato com um pouco mais de atenção e pude chegar à conclusão de que estamos cada vez mais caminhando a passos largos para um isolamento em nossos próprios corpos frios.

Obviamente, ouvir músicas é algo ótimo, Nietzsche, um filósofo alemão afirma, que a vida sem a música seria e um erro e concordo plenamente, porém quando é preferível trancar-se em uma redoma paralela ao socializar-se com o ser que está ao lado durante aproximadamente duas horas, creio que exista algo de equivocado.

Em minha opinião, quando soltamos uma playlist e trancafiamos nossos ouvidos em ondas sonoras estamos ignorando de certa forma, a realidade que nos cerca. Tampando um de nossos sentidos e dignificando um alerta de “não me perturbe”.

E sim, é extremamente normal em uma fase conturbada querermos solidão, mas ao distanciar-se das outras pessoas que estão passando provavelmente pelos mesmos problemas que nós, talvez nos tornamos egoístas, acabamos achando que apenas nós mesmos enfrentamos momentos difíceis, ficamos remoendo internamente fatos que muitas vezes, apenas sendo apresentados por um ponto de vista diferente, tudo se resolveria.

Aqui mora a importância do diálogo, a serventia de mesclarmos conhecimentos, evoluirmos juntos, não fomos feitos para ficarmos sozinhos. Às vezes, tudo que alguém precisa é de outro alguém que o ouça sem julgar. Talvez uma simples frase poderá mudar totalmente uma visão que temos sobre determinado fato. Não há nada mais reconfortante do que ouvir: “eu também passei por isso, tenha calma, eu procedi de determinada maneira, levante a cabeça, vai dar tudo certo”.

É importante nos permitirmos essa conexão do olho no olho, que ultrapassa apenas telas e números, mas que acalenta preocupações e aquece corações.

O mundo evolui e as coisas mudam, mas não pode ser normal que adolescentes em uma fase tão sublime fechem-se dentro de si mesmos.


Publicado por: Douglas Varela Data: 05/07/2019 17:16

Fotos




Principais Notícias

Publicado em 19/07/2019 11:44 por Douglas Varela

Renovação Carismática Católica celebra 50 anos com show especial

No próximo dia 20 de julho você é convidado especial para participar do Show Nacional com o Ministério de Música [...]

Publicado em 19/07/2019 11:28 por Douglas Varela

Lions Clube de Zortéa realiza campanha para auxiliar morador que perdeu casa em incêndio

Um incêndio destruiu uma residência mista (madeira e alvenaria) de dois pavimentos na noite de quarta-feira (10) em [...]

Publicado em 18/07/2019 16:11 por Jorge Soldi

Fórum de Desenvolvimento Rural Sustentável será nesta sexta feira em Ouro.

O 19º Fórum de Desenvolvimento Rural Sustentável que acontece  nesta sexta-feira, dia 19, dá  sequência a  [...]

Outras notícias

Publicado em 19/07/2019 11:40

BITCOIN: POR QUE ESTÁ SUBINDO TANTO?

O Bitcoin é um dos ativos mais voláteis do mercado financeiro, ou seja, seu [...]

Publicado em 19/07/2019 11:25

MELHORAR O AMBIENTE DE NEGÓCIOS

O Brasil vive uma crise econômica sem precedentes. Os dados econômicos são [...]

Publicado em 19/07/2019 10:32

O BRASIL QUE ANDA!

Que semana foi esta que passou? Muita coisa acontecendo, mas importa são os [...]

Publicado em 19/07/2019 10:00

CONVIVÊNCIA URBANA

A Igreja Católica no Brasil,vai além de apenas ser porta voz da Igreja [...]

Publicado em 18/07/2019 15:52

Titon reafirma repasse para secretaria de agricultura de Campos Novos

Na tarde desta quinta-feira, dia 18, o vice-prefeito Gilmar Marco Pereira, o [...]

Publicado em 18/07/2019 15:37

Saretta questiona Ministério da Saúde sobre suspensão de laboratórios que fabricam medicamentos fornecidos pelos SUS

O deputado Neodi Saretta fez um apelo ao Ministério da Saúde (MS) para que [...]